Estudo da RDI avalia um ano após a mudança no Rotativo!

Risco & Recompensa , 14/05/2018

1 ano após as mudanças no Rotativo, taxas de cartão de crédito diminuíram 38%
Aumento da carteira parcelado, com menor risco, é o principal fator

Dados divulgados pelo Banco Central revelam que o saldo da modalidade parcelado cresceu 52% entre Mar/17 e Mar/18 (em Mar/2017 foram R$ 11,3 bilhões de saldo a receber contra R$ 17,2 bilhões no mesmo mês de 2018). Em contrapartida, a carteira de saldos a receber na modalidade Rotativo passou de R$ 38,7 bilhões em Mar/17 para R$ 33,8 bilhões em Mar/18, resultando em uma queda de 12,8%.

Fonte: BCB; elaboração: RDI Inteligência em Serviços Financeiros

Fonte: BCB; elaboração: RDI Inteligência em Serviços Financeiros

A inadimplência – atrasos acima de 90 dias - da modalidade Parcelado, apesar de ainda se encontrar em patamares baixos, foi na contramão, aumentando 58% no período Mar/17-Mar/18. Enquanto em Mar/17 a carteira da modalidade Parcelado, em atraso superior a 90 dias, representava apenas 1,2% do saldo devedor, em Mar/18 esse índice já estava em 1,9%.

Fonte: BCB; elaboração: RDI Inteligência em Serviços Financeiros

Vale ressaltar que, por conta da mudança no mix de carteiras, com menor peso da modalidade Rotativo, que apresenta maior risco, a inadimplência ponderada total diminuiu 21,3% no período. Enquanto em Mar/17 a carteira em atraso superior a 90 dias representava 7,5% do total, atualmente representa 5,9%

Fonte: BCB; elaboração: RDI Inteligência em Serviços Financeiros

Fonte: BCB; elaboração: RDI Inteligência em Serviços Financeiros

Esta redistribuição do mix de carteiras levou a uma queda da taxa total, apesar de um aumento discreto nas taxas praticadas na modalidade Parcelado.



Links