O crédito é essencial para o consumo do brasileiro, em especial as classes socioeconômicas mais simples.

Risco & Recompensa, 03/04/2017

O crédito é essencial para o consumo do brasileiro, em especial as classes socioeconômicas mais simples.

Vivemos um boom do crédito durante os 3 primeiros mandatos do PT, perdendo força no último deles. Foi um período de forte entrada de capitais no Brasil, aproveitando a onda internacional e que ajudou a baratear o custo do dinheiro. Com a bonança econômica e o baixo custo, os brasileiros foram intensamente às compras aproveitando o crédito farto, principalmente nos segmentos imobiliário e automobilístico.

O varejo de eletroeletrônicos, moda, supermercadista, material de construção, entre outros, também foram positivamente impactados. Cresceram suas vendas e sua rede de lojas e financiaram seus clientes gerando um resultado financeiro expressivo. Adotaram diferentes estratégias, fazendo parcerias com grandes bancos, pequenas financeiras ou através de negócios próprios, sempre com bons resultados.

A diferença é que grandes bancos são mais criteriosos na concessão de crédito, enquanto na outra ponta, em negócios próprios, o ganho mercantil é considerado na avaliação de crédito.

Com a crise político-econômica, houve forte retração no consumo, aumento do custo do crédito e da inadimplência (sempre a bolha depois da bonança e com a redução de carteiras) e por consequência maior conservadorismo na concessão de crédito. Com os bancos mais conservadores, a população teve maior necessidade de créditos de instituições menores, mas encontrando a porta fechada com frequência.

Neste cenário, alguns varejistas e pequenas financeiras não foram tão conservadores e ajudaram a minimizar a queda do consumo. Temos exemplos de aumento considerável de inadimplência e de redução da mesma em diferentes varejistas.

A utilização mais intensa de inteligência artificial no ciclo de crédito é fundamental para gestão do risco de crédito atrelada ao core business das companhias, para que ajude a impulsionar as vendas sem gerar uma carteira e créditos podres que podem ter sérias consequências (lembra-se da década de 90?).

Enfim, um crédito saudável, a um custo adequado para todos os participantes da cadeia, em especial o cliente, é uma poderosa ferramenta alavancadora de vendas. E não se descuide da inadimplência!



Links