Microeconomia revisitada e sua contemporaneidade

Risco & Recompensa, 20/02/2017

Quando se fala de Economia, em bom economês, é claro, logo pensamos em PIB, política econômica, inflação, câmbio, balança de pagamentos, e por aí afora. Tudo isso está relacionado com a chamada Macroeconomia. Mas, na Ciência Econômica há também o outro lado, o da Microeconomia, onde está, realmente, o agente econômico, seja ele o consumidor, o empresário ou o próprio Governo. Diz um conhecido adágio da Economia que “a Macroeconomia cuida da floresta e suas características, enquanto que a Microeconomia está preocupada com as arvores, as espécies que dela fazem parte”. Estão aí configuradas, portanto, as duas importantes divisões da Economia, a Macro e a Microeconomia.

No raciocínio econômico, de um lado está a procura dos bens (mercadorias ou serviços) para satisfazer as necessidades (infinitas e ilimitadas) dos consumidores e, de outro, os recursos (fatores de produção) para gerar aquilo que as satisfaçam, a oferta. De permeio estão os preços, os quais, historicamente, davam o nome à Microeconomia, conhecida então como Teoria dos Preços. Estes têm como função promover o equilíbrio entre a oferta e a procura. Sobressai, ainda, a questão da escassez, sobretudo quando se verifica a dicotomia entre os recursos produtivos (materiais ou humanos) finitos e limitados, face às expectativas dos indivíduos (consumidores, empresários, governo) de caráter infinito e ilimitado.

Dessa maneira, os Professores Gilson de Lima Garófalo e Terezinha Filgueiras de Pinho sintetizam os aspectos conceituais da natureza da Economia no recém-lançado livro “Fundamentos de Teoria Microeconômica Contemporânea” (Editora Atlas, São Paulo, 2016), do qual o Prof. Gilson é o organizador. Afirmam ali que a Microeconomia “pretende sistematizar técnicas fundamentais da Economia, constituindo-se em disciplina básica e importante na matriz curricular de diferentes cursos”.

A obra é ambiciosa e abrangente, mostrando profundidade e modernidade na abordagem de cada capitulo do empreendimento. Procura, logo de inicio, trazer a Microeconomia para a contemporaneidade, analisando-a sob o aspecto histórico, sua relação com a Ciência Econômica e seus diferentes desdobramentos até chegar a temas bem atuais. Estruturada de modo atraente do ponto de vista didático e, até certo ponto, original, com os capítulos padronizados na forma, enfatiza o organizador que “previamente ao desenvolvimento do assunto é apresentado uma listagem dos conceitos a serem explanados seguida de um resumo do teor dos capítulos (. . .) enumerados os pontos relevantes e/ou conceitos fundamentais complementados pela proposição de questões e das referências bibliográficas”. Ganham com isso alunos e professores. E a própria Ciência Econômica.

Elaborados por um quadro de contribuição coletiva formado por professores e pesquisadores de todo o país, os quinze capítulos do livro asseguram sua versátil abrangência. No primeiro deles, começa por situar a Microeconomia no contexto da Teoria Econômica, caminha depois para o estudo do comportamento do consumidor, em seguida discute a teoria da firma (produção, custos e rendimentos) no conjunto da análise da oferta. O mercado em ação serve como base para o estudo da formação dos preços ao juntar as duas correntes, a da oferta e a da procura. Cuida dos preços relativos e das elasticidades. Há espaço também para a análise das políticas de atuação das empresas com vistas à maximização dos lucros. A contemporaneidade da abordagem está nos capítulos finais, quando são tratados temas candentes e próprios das preocupações trazidas pela atualidade, tais como Economia do Meio Ambiente, Economia do Crime, Teoria dos Jogos, Externalidades e Bens Públicos e Competição Internacional.

Economistas, professores, analistas de investimentos, estudantes, empresários, autoridades da área econômica nos seus diferentes níveis, consumidores, certamente, serão os beneficiários dessa oportuna obra. Mas, a contribuição dos autores e do organizador, formulada em economês inteligível, é útil e estratégica para todos nós. Com uma vasta bibliografia, o livro proporciona excelente oportunidade para refletirmos e ponderarmos sobre a racionalidade do agente econômico e seu comportamento, papel dos preços, regimes de mercado, escassez, necessidades crescentes, inovações tecnológicas, eficiência econômica. Para facilitar a compreensão de situações econômicas com as quais nos deparamos diariamente e, ainda, consolidarmos, definitivamente, o entendimento daquela simplória (mas verdadeira) lição do Econ. Milton Friedman “não existe almoço grátis! ”.



Links